Escolha uma Página

Quantas vezes descemos um andar para buscar algo e ao chegar no local simplesmente não lembramos o que fomos buscar? Ou, no meio de uma conversa, esquecemos do que estávamos falando e o interlocutor também não consegue lembrar? Atire a primeira pedra quem nunca vivenciou tais situações… Sabe por que isso acontece? Porque normalmente nunca estamos vivendo o agora. Exatamente isso meu bem, nossa mente consciente sempre está no passado ou no futuro e nosso corpo age como se estivesse no piloto automático sempre: comemos sem sentir o sabor dos alimentos, muitas vezes debruçados sobre a tela do celular ou do computador pensando no próximo compromisso depois das três ou sobre o que o fulano postou no Insta e sequer sentimos o sabor dos alimentos. Agindo deste jeito como vamos lembrar o que comemos no almoço?! Este é o grande problema do século, pois quem não sofre de depressão que é o excesso de passado, está sofrendo de ansiedade que é o excesso de futuro e isso acontece, porque não estamos vivenciando o presente. Só por isso. A meditação serve justamente para nos trazer de volta ao AGORA e, por este motivo, meditar é tão essencial para se ter uma mente saudável e, consequentemente melhorar a saúde emocional e física como um todo.

Sem aprender a meditar é impossível aplicar a Lei da Atração, pois é justamente no “voltar-se para dentro” a fim de vivenciar o AGORA que se baseia nosso objeto de estudo. Vamos começar? Esqueça aquela história de que meditar é difícil que você tem que esvaziar a mente etc, etc e etc. Você só precisa relaxar, respeitar o seu tempo e deixar fluir. Procure um lugar tranquilo e sente-se confortavelmente, pode ser no chão em posição de lótus, semi-lótus, como um índio ou sentado em uma cadeira mantendo o pé no chão. O importante é que se sinta confortável e tenha a coluna ereta a fim de melhorar a percepção do próprio corpo. Comece respirando lentamente, enchendo e esvaziando os pulmões, sentindo o ar passando por cada parte do corpo. Sinta o seu corpo, dos dedos dos pés aos fios de cabelos, parte por parte sem pressa… vá relaxando. Neste momento pode ser que algum pensamento venha até você tentando mudar seu foco, deixe-o ir e se concentre na sua respiração. Os pensamentos virão, e sempre que isso acontecer, deixe-os ir e volte a se concentrar na sua respiração e no seu corpo que está cada vez mais relaxado.

Se o seu vizinho de repente bateu com o martelo na parede, leve o seu pensamento até ele: como é este martelo, qual o peso, qual a cor? Visualize a ferramenta, cada detalhe, por menor que seja… veja o cabo de madeira, imagine a árvore que ele foi um dia, ela era grande ou pequena? Faça isso com o cão que acabou de latir na rua… qual a raça, qual a cor? É grande, médio ou pequeno? Imagine-se correndo com este cachorro pela praia, sinta o cheiro gostoso da maresia, sinta a brisa tocando o seu corpo, os seus pés afundando na areia enquanto as ondas molham seus tornozelos. Aproveite este momento. Respire de novo e volte sua concentração para o seu corpo e sinta seus pés, suas pernas, parte por parte e vá respirando lentamente. Pode ser que neste ponto a conta de telefone que você esqueceu de pagar queira participar deste processo, você pode deixá-la ir ou permitir que ela também participe. Visualize a conta, sinta a textura do papel nas suas mãos, veja a cor da letras, o seu nome e endereço impressos, o seu número de telefone. Pelo amooooor não é para levantar e ir correndo pegar a conta, é tudo no pensamento…

Eu gosto muito de brincar com as coisas, trazê-las para o meu momento, mas se você não gostar, à medida que os pensamentos vierem ou algum barulho acontecer, simplesmente volte-se para a sua respiração e para as partes do seu corpo e continue a relaxar. Se preferir também há a técnica de transportar-se para outro lugar. Eu gosto muito de flores, de modo que, muitas vezes me imagino em um campo florido ou debaixo de cerejeiras. Sempre se começa respirando lentamente, depois sentindo cada parte do corpo e depois se deixe levar para o lugar que você quiser, pode ser uma praia, uma floresta, uma fazenda ou um campo verde. Um lugar onde você se sinta bem. Curta seu lugar favorito, permita-se viajar. Depois volte devagar, concentrando na respiração nas partes do corpo…

E o que dizer da meditação com afirmações? Mesmo processo: sentar, respirar, relaxar e soltar a imaginação. Você pode fazer as afirmações que quiser com frases curtas ou simplesmente palavras positivas, como por exemplo: ” Eu me amo”, “Eu me perdoo” ,”Eu mereço amor”, “Eu sou grato (a)”, “Eu sou próspero (a)”, “Paz, harmonia e amor”, “Paz”, “Amor”, “Harmonia”… crie suas próprias afirmações. Você pode também conversar com Deus ou com o seu Anjo da Guarda ou Guia Espiritual, pode orar o Pai Nosso, Uma Ave Maria, pode simplesmente agradecer ou repetir as palavras mágicas do Ho’oponopono: “Eu sinto muito, por favor me perdoe, sou grato (a), eu te amo”. Você é livre para escolher aquilo que te fará sentir bem de verdade. O essencial é sentir-se bem.

Também gosto de meditações com frutas ou perfumes. Leve a fruta para o seu cantinho e comece com os passos básicos, sentar, respirar relaxar… Tomemos por exemplo uma maçã ou uma manga que são frutas com cheiros bem característicos. Ao respirar sinta o cheiro da fruta, veja a sua cor, sinta o seu sabor, a textura. Use todos os seus sentidos. Agora se transporte até onde ela foi plantada. Corra livre pela plantação até chegar à árvore que deu este fruto. Qual a sua altura? Ela era alta, frondosa, tinha muitos outros frutos? Aproveite, deite embaixo da sua sombra e descanse. Você merece descansar após chegar até ali. Olhe para os campos verdes, veja os arbustos, os morros e as colinas ao longe. Sinta o vento suave no seu rosto, sinta o chão sob seu corpo. Está calor ou a temperatura está agradável? Você é todo sentido… Depois você faz a viagem de volta, vai até sua fruta, volta para o seu corpo, para a sua respiração e volta à sua vida! Este processo de fazer o caminho inverso é sempre muito importante: primeiro você vai e depois volta percorrendo o mesmo caminho.

Você gosta de Matemática? Pessoalmente eu detesto. Tive uma professora de Matemática que foi o meu tormento durante toda a minha estadia no ginásio. Detesto esta matéria! Os números nunca foram o meu forte. Graças a Deus os celulares têm calculadora. Você é igual a mim? Também nunca foi muito fã dos números? Vou ensinar você a vê-los com outros olhos. Mesmo passo a passo: Comece sentando confortavelmente, concentre-se na sua respiração, vá relaxando seu corpo a começar pelos dedos dos pés, vá sentindo seu corpo parte por parte e quando estiver relaxado, imagine um quadro negro na sua frente. Ele não tem nada escrito, está completamente limpo. É um quadro novo e você será a primeira pessoa a utilizá-lo. Agora comece a escrever o número 0. Escreva de várias maneiras diferentes, apague e volte a escrever. Escreva o número 1 e preste atenção na sua forma. Agora apague e vá para o 2 e, assim sucessivamente. Se atente a cada número, lembrando das datas especiais, como por exemplo, aniversário de seu pai, seu próprio aniversário, sua idade (abafa o caso), a idade que deu o seu primeiro beijo ou que perdeu a virgindade (hehehehe). Quando chegar no numeral 100, apague, escreva o 99, repita o mesmo processo até chegar ao 0 de novo. Depois é só repetir o velho processo do regresso: concentrar na respiração, no próprio corpo, até abrir os olhinhos. Esta meditação relaxa tanto que você não é capaz de imaginar… Você vai mudar o seu conceito em relação aos números.

Todas as meditações acima, inclusive a com a fruta, costumo fazer com os olhos fechados, mas também gosto de meditações visuais. É basicamente o mesmo processo, porém olhando um quadro ou uma planta ou até mesmo uma paisagem na tela do computador. Repetir todo o processo de relaxamento e focar sobre aquilo que se está meditando, analisar, olhar cada detalhe atenta e fixamente, tentando guardar todos os pormenores. Depois feche os olhos e veja com a mente. Tomemos como exemplo uma planta. Qual o material do vaso? Qual a cor? Qual a espécie da planta? Analise cada detalhe, relembre de cada um deles. Veja a planta na sua mente. Ela tinha flores? Como eram suas folhas? E por aí vai…

Você pode começar meditando cinco minutos diários, dois, três. Vai depender de você. O importante é começar, porque o primeiro passo é sempre o mais difícil de todos. Hoje você começa com dois minutos, amanhã três, depois de amanhã cinco e quando se aperceber viajou vinte minutos dentro de si e ainda sente que é pouco… Logo nos primeiros dias notará os benefícios que esta prática tão simples trará para o seu corpo, a sua mente e o seu espírito.

E não aceito desculpa, tipo, “eu não tenho tempo e nem lugar para meditar”, pois no post de amanhã vou ensinar a meditar enquanto caminha, enquanto come e, acredite, até enquanto lava a louça!!! Não acredita? Aguarde!

Namastê!

%d blogueiros gostam disto: